A Ponte

Depois de muito tempo, o telefone manda um alerta.

Era ele, E., o meu tarado favorito, altura mediana, com músculos definidos dos braços, barriguinha de cerveja, barba e cabelos loiros e olhos verdes.

Estava na rua, próxima a um antigo graneleiro, contendo 4 pavilhões, e o trem  que passava por detrás dos prédios antigos já tombados. Neste dia a região estava lotada, havia pessoas e famílias no local.

Ele estaciona a sua moto de frente ao meu carro, no estacionamento. O encontro de nossos corpos nos acende, colocando o seu pau maravilhoso pra fora.

Seu jeito exibicionista me deixa com um tesão, e a vontade de bater uma pra ele, conversando, enquanto tem uma multidão em suas costas vivendo, é muito grande.

Neste local, que passa um trem, tem uma ponte que liga uma região da cidade com  esta a qual estávamos. Uma ponte de ferro, vermelha, uma passarela na verdade. Longe da vista de todos, achamos.

Fomos para lá, subimos 4 lances de degraus, ficamos no topo desta passarela.

A vista era fantástica, prédios em volta, casas antigas ao redor, dava pra ver quem vinha de carro em uma avenida próxima e quem vinha do bairro ao lado.

Ficamos no meio da ponte, em pé, ele me encosta na grade da ponte. Como estava com roupas de caminhada, ficou mais fácil, uma blusa preta decotada e uma calça legging.

Tirando os meus seios para fora, me empurra o corpo pra fora, pra ficarem balançando no ar, abaixando as minhas calças, e o trem passa por baixo, abafando os nossos gemidos e o barulho de nossa foda.

Não deu nem tempo de pensar muito, pois estávamos num tesão danado, o local estava perigoso e ao mesmo tempo nos dando esta excitação. Logo sinto o seu pau grosso me penetrando, não dando muito tempo para pensar.

Ele me fodendo, em pé, puxando meus cabelos, meus seios balançando, eu nem ligando para quem via, apenas gemia alto e ele urrava um pouco.

A noite estava inspiradora, a lua também, o lugar estava muito perigoso ao mesmo tempo estava excitante. O perigo, a exposição nos excitam, eu sentindo cada vez mais, chegando ao meu orgasmo, molhando as minhas coxas, apertando cada vez mais o pau dele.

Ele é do tipo de homem que não aguenta por muito tempo quando estamos numa situação de exposição, pois a excitação tamanha. Ele quer ser meu homem naquela noite, me dá mais umas bombadas, ele goza gostoso dentro.

A grande excitação dele é me ver toda gozada e melada com o gozo dele quando ele tira o pau. Ele fez isso, tirou, e ficou agachado na ponte, abri um pouco as pernas, pra mostrar a porra dele me lambuzando inteira, as coxas meladas, ela toda branca com a sua porra grossa.

Me penetrando dois dedos, ele fala: você é a minha vadia, quero que todos vejam e sentem o cheiro que você é minha.

Aproveitamos que todos os vagões terminaram de passar, saímos.

Esta ponte será o meu local favorito para foder.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s