A Lua

Não foi do dia para noite que criei um monstro que habita em mim.

Como uma criatura noturna, não sou muito fã de lugares como quartos fechados de motéis, um sexo comportado na cama ou aquela foda planejada.

Gosto da sensação de perigo, daquele tesão que dá de ser observada, do flagrante.Não sou nada comportada. Mas tem uma coisa que me deixa no cio, é ver a lua bem cheia no alto, aquilo me ataca os instintos mais selvagens.

Aprendi a não combinar fodas, pois elas nunca dão certo, geralmente encontro os meus parceiros que adotei como fixos na surdina, aquela ligação rápida que no máximo 20 minutos já estamos ali.

Nesta última lua, não foi diferente…

Saindo de uma reunião, já escurecendo, pego minhas coisas e já mando a msg “ to com um tesão, quero dar o cú pra você, te encontro no mesmo lugar de sempre”, uma rua atrás de um condomínio fechado, com as costas para um horto florestal.

Chegamos na mesma hora, meu pau amigo acompanhado com o corpo alto, braços musculoso e forte, mãos grandes, com um rosto de bebê e cabelo loiro e comprido.

Me pega pelos cabelos, me encosta no capô do carro, dá um tapa na minha bunda, sobe a saia do vestido.

Não há beijo, isso reservo para poucos, mas ele me roça com seus dedos, colocando a calcinha preta de renda de lado, puxando meus cabelos para trás, e eu consigo ver a lua.

Lua cheia, a vejo com um suspiro, um alívio ao sentir o pau grosso me penetrando, eu contraindo a musculatura, esperando chegar o meu orgasmo. Ele sente, ficando quente e molhado, adoro encharcar a cueca e as calças dele, algo automático, ritmo frenético, perfeito até que gemo um pouco, ele afrouxa o aperto dos meus cabelos, descendo para os meus seios, colocando-os para fora, apertando e puxando os bicos pra fora, e sentindo algo mais selvagem, tirando o pau inteiro dentro de mim, e colocando no meu cu.

Ah, sensação de dor delícia,ele penetrando gostoso, aos poucos, devagar,até o talo. Depois que acostuma, vai aumentando o ritmo, forçando a minha cabeça contra o capô do carro.

Me sinto uma vadia, contendo os meus gemidos, uma mistura de dor e prazer, sentindo o seu pau inchar, até que ouço o urro de prazer, ele segurando o gozo, me comendo mais forte.

Mais um orgasmo chega, ele goza gostoso, me deixando melada, escorrendo e minhas pernas, adoro me sentir usada.

        Geralmente deixo que eles acham que me usam, mas na verdade eu os uso. Como toda loba que gosta de uma lua, ela que me alimenta esta monstra que existe em mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s